quinta-feira

Mães


Origem do Dia das Mães


A mais antiga forma de celebração da maternidade pode ter sido as celebrações de Réia, a mãe de todos os deuses, na antiga civilização grega. Em Roma, o festival que mais se assemelhava ao Dia das Mães era dedicado a Cibele, também considerada mãe dos deuses. As cerimônias em sua homenagem duravam três dias, numa festa conhecida como "Hilaria".

No século 16, a Inglaterra comemorava o chamado "Domingo da maternidade" no quarto domingo da Quaresma. Nessa época, a maioria dos jovens de baixa renda da Inglaterra trabalhava como serva para a população rica e, como seu emprego ficava muito longe de suas casas, viviam na casa de seus empregadores.

No domingo das mães, eles tinham folga e eram encorajados a ir para casa, passar o dia com suas mães. Com a disseminação do cristianismo na Europa, o nome da comemoração mudou, e passou a honrar a "Mãe Igreja", um poder espiritual que dava a vida e protegia a todos. Com o passar do tempo, as duas comemorações foram conjugadas e esse domingo passou a honrar tanto as mães como a Igreja.

Nos Estados Unidos, Anna Jarvis é a idealizadora do feriado. Em 1907 ela começou uma campanha para instituir o Dia Nacional das Mães. Ela conseguiu que a pequena cidade de Grafton, na Filadélfia, celebrasse o Dia das Mães no segundo aniversário da morte de sua própria mãe, Anna Reese Jarvis.

No ano seguinte, a comemoração se espalharia por toda a Filadélfia. Logo, Anna e seus colegas de causa começaram a escrever para padres e políticos de todo o país, na tentativa de nacionalizar a comemoração. Em 1991, eles conseguiram o que queriam, e o Dia das Mães foi celebrado em quase todos os Estados norte-americanos. Em 1914, o presidente Woodrow Wilson fez um comunicado oficial, proclamando o Dia das Mães como feriado nacional, a ser celebrado sempre no segundo domingo de maio.

O cravo, flor favorita da mãe de Anna Jarvis, tornou-se o símbolo das mães, após ter sido usado na celebração de 1907 em Grafton. Os cravos brancos significavam a pureza, doçura e eternidade do amor de mãe. Com o tempo, os cravos brancos tornaram-se símbolo da mãe que já faleceu, enquanto os vermelhos representam a mãe viva.



O dia das mães no mundo

Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Dinamarca, EUA, Finlândia, Itália, Japão, Turquia e outros: 2º domingo de maio
África do Sul: 1º domingo de maio Argentina: 2º domingo de outubro
Espanha e Portugal: 8 de dezembro, dia em que se homenageia a Virgem Maria França e Suécia: último domingo de maio
Índia: início de outubro
Iugoslávia: 2 semanas antes do Natal
Líbano: 1º dia da primavera
Noruega: 2° domingo de fevereiro

Fonte:http://www.swbrazil.anglican.org/catedral/maes.htm

sexta-feira

Feliz Páscoa


Refeição de Páscoa entre os judeus portugueses (Pessach Sefardim).






Fonte: Gravura de Bernard Picard, 1725. Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro Fotografia de Laura Castro Caldas e Paulo Citra
- Lisboa - Portugal

Link interessante - Museu Fotográfico
Associação Brasileira dos Descendentes de Judeus da Inquisição